quarta-feira, 20 de julho de 2011

Trocar os idosos por reclusos.




Ideia de alguém alguém que não é parvo nenhum.
Colocar os nossos idosos nas cadeias, e os delinquente fechados nas casas dos velhos.

Desta maneira, os idosos teriam todos os dias acesso a um lazer, passeios.
Não teriam necessidade de fazer comida, fazer compras, lavar a loiça, arrumar a casa, lavar roupa etc.
Teriam medicamentos e assistência médica regular e gratuita.
Estariam permanentemente acompanhados.
Teriam refeições quentes, e a horas.
Não teriam que pagar renda pelo alojamento.
Teriam direito a vigilância permanente por vídeo, pelo que receberiam assistência imediata em caso de acidente ou emergência. E sem pagar um tusto.
As suas camas seriam mudadas duas vezes por semana, e a roupa lavada e passada com regularidade.
Um guarda visitá-los-ia a cada 20 minutos e levar-lhes-ia a correspondência directamente em mão.
Teriam um local para receberem a família ou outras visitas.
Teriam acesso a uma biblioteca, sala de exercícios e terapia física espiritual.
Seriam encorajados a arranjar terapias ocupacionais adequadas, com formador instalações e equipamento gratuitos.
Ser-lhes-ia fornecido gratuitamente roupa e produtos de higiene pessoal.
Teriam assistência jurídica gratuita.
Viveriam numa habitação privada e segura, com um pátio para convívio e exercícios.
Acesso a leitura, computador, televisão, rádio e chamadas telefónicas na rede fixa.
Teriam um secretariado de apoio, e ainda Psicólogos, Assistentes Sociais, Políticos, Televisões, Amnistia Internacional, etc., disponíveis para escutarem as suas queixas ( ?).
O secretariado e os guardas seriam obrigados a respeitar um rigoroso código de conduta, sob pena de serem duramente penalizados.
Ser-lhes-iam reconhecidos todos os direitos humanos internacionalmente convencionados e subscritos por Portugal.

Por outro lado, nas casas dos idosos:
Os delinquentes viveriam com 200 € numa pequena habitação com obras feitas há mais de 50 anos.
Teriam que confeccionar a sua comida e comê-la muitas vezes fria e fora de horas.
Teriam que tratar da sua roupa.
Viveriam sós e sem vigilância.
Esquecer-se-iam de comer e de tomar os medicamentos e não teriam ninguém que os ajudasse.
De vez em quando seriam vigarizados, assaltados ou até violados.
Se morressem, poderiam ficar anos, até alguém os encontrar.
As instituições e os políticos não lhes ligariam qualquer importância.
Morreriam após anos à espera de uma consulta médica ou de uma operação cirúrgica.
Não teriam ninguém a quem se queixar.
Tomariam um banho de 15 em 15 dias ,sujeitando-se a não haver água quente ou a caírem na banheira velha.
Passariam frio no Inverno porque a pensão dos 200€ não chegaria para o aquecimento.
O entretenimento diário consistiria em ver telenovelas e o Goucha na televisão.
Digam lá se desta forma não haveria mais justiça para todos, e os contribuintes agradeceriam?

Enviado pelo filho da escola Carvalho

3 comentários:

TINTINAINE disse...

É ao ler coisas destas que somos obrigados a admitir que algo vai mal no mundo. Sim, porque não é apenas em Portugal que isso acontece.
Ninguém quer enfrentar o problema, mas lá que ele é sério não há dúvida nenhuma.

Fuzo Observador disse...

Está muito bem visto, de facto ser «Velho» e com pouco dinheiro é complicado, já não basta os Filhos os desprezarem, com a desculpa de terem uma vida muito «ocupada» temos também a moda dos «lares particulares» que mais não são que armazéns Humanos onde se guardam os Velhos como se tratasse de um qualquer artigo de usar e deitar fora.
Um abraço
Virgílio

Artur Sousa (Leiria) disse...

Grande Luís que continuas estrebuchando com muitos de nos!
Fora, porque dos fracos não reza a cartilha.
Quanto ao artigo está consoante os tempos, onde o absurdo o disparatado e... muito mais faz parte do programa, por isso é mais do que normalíssimo aos olhos do Zé.
Parte destas me**das que os políticos vão criando é para mostrarem o humanitarismo deles! No Canadá passa-se exactamente a mesma me**da.
Um abraço.