segunda-feira, 7 de junho de 2010

1º casamento gay em Portugal

A Teresa e a Lena casaram hoje  na 7º conservatória de Lisboa. Sem espalhafato como qualquer casal, entre amigos e familiares . Que sejam felizes e que acabe de uma vez por todas a perseguição que lhes é feita!

3 comentários:

Piko disse...

Pois é ninguém se "atreve" a comentar! Porque será?!
Por mim não vejo inconveniente algum neste relacionamento homossexual ou lésbico...
Não colide minimamente com as minhas liberdades e até admiro em certa medida a forma frontal com que assumem o relacionamento amoroso, sabendo que irão ter uma boa parte da sociedade, normalmente as igrejas e muitos seguidores, que nunca aceitarão esta permissão da lei!
Agora há outros aspectos que gostava de aflorar e que não sei se o legislador tomou em devida conta! É que há que ter em conta que isto até nos parece bem, mas resta saber que medidas estarão previstas na lei se as duas senhoras continuarem a ser despejadas das casas com a alegação de as pessoas da rua fazerem pressão, na base de que têm à porta um "mau" exemplo... O mesmo quanto ao direito ao trabalho, quando as entidades patronais usam o mesmo tipo de argumento...
Não conheço a lei, mas conheço razoavelmente os fazedores de leis e ainda conheço bem melhor os conceitos e os preconceitos milenares, que marcam e de que maneira as nossas sociedades!
Fico por aqui, mas agora fico à espera não de Godot, mas que as mentes digam de sua justiça!
PIKó

lmdoliveira disse...

Para mim também não me aquece nem me arrefece o género diferenciado, são opções ou "não" de cada um. Agora, a bichas põem-me fora do sério, é gente que tem graves problemas do foro psiquiátrico, as paradas gay são uma piolhice da, a história de que têm que sair do armário é um chavão ranhoso, como se nós heteros tivéssemos que fazer paradas para no s afirmarmos como machos. Cada um é como é sem que tenha que andar a embandeirar o lilás ou o vermelho ou o preto.
Saudações PIKÓ

eduardo maria nunes disse...

Cada um escolhe o melhor para si. Se pessoas de sexo igual, vivem felizes num relacionamento amoroso, que assumem como sendo marido e mulher, o que na realidade não o é. Uma mulher não engravida de outra mulher.
Um homem não fica grávido de outro
homem. Portanto, a lei da natureza aqui não funciona, são todavia alterações sem fundamento, das sociedades modernas, causadas pelas drogas. As quais ao serem ingeridas ou injectadas alteram os comportamentos das pessoas, levando-as a seguirem uma vida diferente daquela que até então tinham.
Somos livres de escolher o melhor caminho por onde deveremos seguir.
Para ser sincero não sou a favor desse relacionamento, no entanto sou, suficientemente, inteligente, para o saber reipeitar.