domingo, 2 de maio de 2010

Dia de todas as mães

Tenho o privilegio de ter a minha mãe a viver comigo. Este dia é essencialmente para as mães da praça de Maio e de todas as mães que perderam os seus filhos. A dor maior é perder um filho, não saber o seu paradeiro e pior não poder fazer o luto.



7 comentários:

Fuzo de Agua Doce disse...

Já não tenho o previlégio de ter a minha, assim julgo que não levarás a mal, que mande daqui um beijo á tua, e que lhe desejo muita saúde, e felicidades na tua companhia e dos teus.
Um abraço
Virgilio

Valdemar disse...

Cumpri também eu com o meu dever de filho.
Os meus Pais morreram em minha Casa e tiveram um final de vida digno, aqueles que todos deveriamos ter direito.
O mesmo fizemos aos meus Sogros, se bem que estes faleceram em casa deles.
Mas mãos que não dais porque esperais.
Ou Filho és Pai Serás. Assim como fizeres assim encontrarás.
Passar nos Cemitérios, ver sepulturas vazias e não saber onde param os corpos dos nosso queridos provocará um sofrimento terrivel.
Aceitar a morte custa imenso, mas acabamos por a aceitar, agora nunca termos tido um cadáver para velar,será das injustiças mais crueis .
Infelizmente isso acontece com os nossos pescadores onde tem morrido um em de quinze em quinze dias, e já lá vão treze este ano.
Neste dia especial dedicado às Mães um sentimento de acalento e que lhes seja possivel ultrapassar esse infortúnio.
Que a Senhora tua Mãe viva por muitos e bons anos.
Também eu tive uma prendinha das minhas Filhas, porque aleguei que era um Pai Galinha e como tal sentia que tinha esse direito.
Não sei se fui muito justo!!!
Mas adorei. Já cá canta.

Valdemar disse...

Várias são as vezes que falho a públicação no teu Blogue.
Que este dia da Mãe seja a continuidade para a tua entre os Vivos por muitos e bons anos.
A minha já partiu: mas esteja onde estiver sabe que a tenho no coração e que lhe proporcionei um fim de vida com grande dignidade.
Se perder um filho é doloroso, não ter um cadáver para velar quando passamos no Cemitério e vemos tantas Sepulturas vazias é terrivel.
Uma homenagem muito especial aquelas Mães que veêm os seus filhos desaparecidos no Mar e cujos corpos não aparecem.
Bem hajam e muita força para tentarem superar essa adversidade, este ano já foram treze pescadores um em média de quinze em quinze dias.
Paz às sua Almas

lmdoliveira disse...

Beijo a entregar. A minha mãe tem 84 anos, de cabeça está de excelente condição, o organismo para a idade está bom, os ossos é que estão muito fraquinhos no entanto para a idade não se pode pedir mais. Foi sempre uma óptima esposa e mãe idem aspas , virtudes todas, numa palavra é uma senhora!

Piko disse...

Acho que o dia que foi estabelecido para ser o dia da mãe, terá em vista um fim mais pedagógico, porque restam ainda muitos mais dias no ano e se nesses muitos dias, pouco ou nada se fizer pela mãe, de pouco valerá ter neste dia uma atenção especial...
Devo confessar-vos, que estou pouco à vontade neste tema e reconheço-o, quando estou consciente de que tenho uma mãe com 92 anos, mas devido à atitude de mais seis irmãos, (excepção para uma irmã)que é a única, que tal como eu ainda a aceita na sua casa...
Isto é muito feio para se divulgar, mas a VERDADE nunca me meteu medo, de resto não estamos a falar de pessoas com baixos recursos, mas que terão perdido o que talvez nunca assimilaram, e, já fiz tentativas para unir e juntar todos os irmãos, sem nunca o conseguir!...
É neste quadro e haverá outros idênticos e até bem piores, em que a nossa HUMILDADE já fez o possível e o impossível e tudo em vão... Estas pessoas, parece que se convenceram, que não vão chegar nunca a esta situação e eu pessoalmente estou a ver que estão totalmente erradas!
Foi mais um desabafo, de um carácter muito ferido e que não pude deixar passar em claro...
Entretanto, também sei que no nosso país, se procura nestes casos "esconder o Sol com a peneira", porque acham que é feio mostrar as fragilidades familiares, mas não tenho esse complexo, e, isto, porque não se deve esconder o que já não existe há mais de trinta anos:COESÂO FAMILIAR!
Ah, só falta acrescentar, que nesta família ainda não houve partilhas, que eu saiba...
Um abraço!
PIKÓ

lmdoliveira disse...

Isso de perder filhos no mar, para os teus lados tem andado ruim.
Eu acho que essa do pai galinha tem muita água no bico, ou seja és aproveitadinho sacas no dia do pai e abifas no dia da mãe. Ah grande Valdemar!!!!

lmdoliveira disse...

Amigo PIKÓ, em todas as famílias há sempre os ranhosos. Uma coisa é certa quando ela partir vais ficar de consciência tranquila e o prazer do dever cumprido.