sábado, 1 de maio de 2010

Caldeirada do 1º de Maio


Esta não é de Peniche ( tintinaine), o vinho não é do Jacinto mas é quase (Quelfes), a confecção é do (Oliveira) e os versos do (Agostinho Verde).

5 comentários:

Valdemar disse...

Falando de Comensais
Também de bons Vinhos
As caldeiras são demais
Peniche e Matosinhos
II
De Peniche vou dizer
Mas que rica caldeirada
Foi até o Prato lamber
Estava muito bem temperada
III
Falando de Matosinhos
Maravilha de Caldeirada
Acompanhá-la bons vinhos
Também havia e comi fragatada
IV
Tanto li falei de comer
Muito guloso é um homem
Já tenho o dente a tremer
E o estômago sente fome.
V
São coisas do Oliveira
Tintinai e Agostinho
Bebei só uma rapozeira
E copo e meio de vinho

Anónimo disse...

Já não vou a tempo de desejar bom apetite, mas desejo boa digestão que está com bom aspecto.
Um abraço
Virgilio Miranda

TINTINAINE disse...

Hoje não estou inspirado para versos e fico-me por um elogio merecido ao Luís e à sua caldeirada que tem um aspecto fenomenal. Só tenho pena que seja tão virtual!

lmdoliveira disse...

Meus amigos, o passarmos do virtual para a realidade basta um passo, disto falaremos quando o Leiria pisar terra lusa.

Artur/Leiria disse...

Já faltou mais comparsas, para que esse gostoso imbróglio se consolide!? Fazeis com que me obrigue a contar os dias horas e minutos que faltam para pisar a terra da luz. Luz do Benfica; Douro do Valdemar; Oeiras do Homem do castelo; Póvoa do Comandante; Alcobaça do Ralph das novidades, entre outros benditos lugares…
Valha-me santa paciência que ainda faltam 142 dias; 3,408 horas; 204,480 minutos; 12,268,800 segundos! Gaita, que Ainda falta muito tempo!
Que raiva…
Desculpem agora, porque vou ver o Benfica e o Puerto...
Bye...bye!