sexta-feira, 16 de abril de 2010

Os mansos, os bravos e os otários.


O Louçã disse no parlamento que o Sócrates está mais manso, este acusou o estoque e não é de modas retorquiu que manso é a tia do bloquista. OH Sócrates, a tia? Nada disso, se queres ser um gajo como eu que se fez homem nas oficinas a resposta seria: manso é quem te fez a cabeça, mas isso é para gajos como eu, um tipo de boas famílias não diz nada, cala-se e mostra cara de ofendido. O Louçã não é a primeira vez que tem tiradas destas , como chamar-te manhoso, troca tintas e agora manso, o tipo é esperto lança-te o engodo sempre com palavras com segundo sentido e tu cais, porque não és manso nem bravo, és otário!

4 comentários:

Piko disse...

Amigo Oliveira:

Assisti também à real mansidão e das trocas de galhardetes entre dois dos "pegadores" da nossa praça!...
Sendo do Norte, não sou filho de aficcionado, mas não desgosto do uso de algumas expressões tauromáquicas como muleta, chicoelinas e outras expressões que pertencem em exclusivo à festa brava!
A grande diferença é só esta:
- Enquanto os ditos do parlamento resolvem o frente a frente por decisão própria e livre, os tais que entram na arena e que por vezes até serão "mansos", só na hora é que "acordam" para a dura realidade!
Reparo com agrado que o meu amigo Oliveira está muito ATENTO!
ISSO É MUITO BOM!
PIKÓ

lmdoliveira disse...

Amigo PIKÓ:
Das touradas só gosto quando o touro sai do redondel para a plateia e esta em resposta pira-se para o redondel. Quanto ao “redondel” Da politica, há uma grande diferença, somos todos nós que levamos as marradas e para nossa desgraça não são touros bravos a marrar mas, umas quantas chocas mal amanhadas, se calhar não merecemos melhor, pois o país está mais que nunca avacalhado.

Valdemar disse...

Adoro as pegas de caras as de Cernelha, nunca resulta~rao em ovações.
Dois fanfarrões descrados
Com politícas maledicentes
Deviam ser mais educados
Não serem tão indecentes
II
Não são espertos nem brutos
Serem Santos não lhes convém
Nem bem nem mal educados
São simplesmente produtos
Dos Politícos que advem
Do meio que foram criados

Fuzo de Agua Doce disse...

Amigo Oliveira
O que se passa na chamada casa do Povo, é o espelho do País, onde a falta de respeito pelo próximo, é hoje o pão nosso de cada dia.
Nunca pensei ouvir frases deste tipo, para gostemos ou não, é o Primeiro Ministro deste País.
Este Sr. Louçã é repetente neste tipo de linguagem e quer queiramos ou não, as pessoas que ouvem ou lêem estas coisas em especial a juventude vai tomando como normal este tipo de agressões verbais
Um abraço
Virgilio