sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Moçambique e as suas cabras



Violaram cabra e dono do animal exige casamento 25/02/2010
Dois jovens de Matsinho, Gondola, centro de Moçambique, foram apanhados pela polícia a manter relações sexuais com uma cabra e agora os donos do animal exigem indemnização e casamento. O caso está em tribunal.
O caso de "flagrante delito" aconteceu na semana passada, no distrito de Manica, e fonte ligada ao dono da cabra disse à Lusa que o mesmo exige que os jovens sejam condenados em tribunal a casar com o animal.Os jovens, cuja identidade não foi revelada, terão sido apanhados a manter relações com a cabra no âmbito de uma espécie de ritual satânico."No preciso momento que fui ver, a cabra apresentava corrimentos, o sexo estava inchado. Um dos jovens estava nu enquanto segurava a cabeça, e outro a fazer sexo com o animal", contou uma testemunha quando da detenção policial.Mário Creva, a testemunha, disse que o caso se deu numa pequena mata na zona de Mbucuta, arredores do posto administrativo de Matsinho.O procurador distrital de Gondola, Leonides Mapasse, confirmou à Lusa ter remetido o caso ao tribunal distrital para efeitos de julgamento."Recebi o caso e já remeti ao tribunal. Mas os jovens serão ouvidos em juízo por furto simples qualificado e não necessariamente por prática sexual, pois a nossa Constituição não acomoda este tipo de acto", disse à Agência Lusa Leonides Mapasse.Fora do processo-crime, acrescentou o magistrado, o ofendido (proprietário da cabra) pode intentar processo civil e moral contra os dois jovens pela prática sexual com a cabra.O proprietário da cabra, segundo fonte familiar, exige o casamento e que jovens sejam condenados a ressarcir os danos causados à cabra, além de terem de pagar "lobolo", um ritual tradicional que reconhece a união marital e segundo o qual o homem compensa a família da mulher.O tribunal distrital de Gondola deverá julgar os jovens num processo sumário ainda este mês.

2 comentários:

Valdemar disse...

Não fosse o caso sério e apetecia dizer:- já não se pode ser cabra,com tipos destes é melhor ser cabrão.
Acho muito bem o pedido de indeminização, se rebentou cabaço e lhe atiraram para o mataco havia de ter de pagar as duas virgindades. Por outro lado tem atenuantes: - Quem sabe sabe se não teria sido com boa intênçao ao aperceberem -se que dava pouco leite tiveram o propósito de colaborar para aumentar a produção.
Chi aqueles Meculos não ter juizo no cabeça.

lmdoliveira disse...

Valdemar.
Nos anos sessenta na escola de Fuzileiros um grumete foi apanhado e na ordem de serviço constava assim : por ter praticado actos sexuais com uma ave galinácea o grumete ..... é lhe aplicado 10 dias de detenção. Este não queria enriquecer o leite, mas tão somente ver se havia ovo.
Lá como cá a zoofilia de quando em vez dá um ar da sua graça.